A Maçonaria Aberta aos Homens de Bem
SABEDORIA, PROSPERIDADE E UNIÃO





O QUE É A MAÇONARIA?



Maçonaria é uma “Escola"

– Uma Escola de Moral e um Sistema de Filosofia. Composta de Homens de Bem que se Auxiliam e Incentivam, na Prática das Virtudes e na Busca do AutoConhecimento.

Estes ensinamentos são transmitidos em um Templo Maçônico, um ambiente Tranquilo, Harmonioso e Acolhedor, repleto de Fraternidade e Respeito.

Utilizamos uma Simbologia Milenar de Elevada Moral e Espiritualidade e temos Momentos Únicos de Aprendizado e Reflexão, ficando Gravado de forma Indelével em Nossas Mentes e Corações.

A Maçonaria Transforma um Homem Comum em um “Construtor Social”, um Líder, um Homem Diferenciado, um Representante da mais Antiga e Respeitada instituição no Mundo, ou seja, você será um Verdadeiro Maçom.

Para Ser Maçom é Imprescindível ter o Desejo Sincero de Progredir como Homem e a Aceitação da Necessidade de Evolução e Melhoria de Vida, Sempre Ajudando ao Próximo.

É Preciso se Dedicar e Buscar Incessantemente o AutoConhecimento, Viver em Harmonia e Concórdia com Tudo e com Todos.


O que ocorre dentro de um Templo Maçônico?


 As perguntas que não querem calar:


O que acontece realmente dentro de um Templo Maçônico? 

Se realmente a Maçonaria é uma instituição voltada para o bem da Humanidade como afirma-se, porque suas cerimônias não são abertas ao público?

Quais são estes segredos que não podem ser revelados? 


Bem, vamos às respostas:

Para poder dar as devidas explicações, se faz necessário relembrarmos alguns fatos da história da Maçonaria:

1º - A Maçonaria revelou-se para o mundo como instituição no ano de 1717. Tal fato não quer afirmar que não existiam Lojas Maçônicas antes desta data. Existem relatos de Lojas que datam do século XIII.

2º - Também há que se considerar que existiam associações as quais mantinham alguns preceitos similares à Maçonaria. Os próprios Cavaleiros Templários que tiveram origem no ano de 1119 são um exemplo de estrutura organizacional similar. No livro - Nascidos do Sangue: os Segredos Perdidos da Maçonaria - , John J. Robinson afirma que os maçons são os remanescentes dos Templários. Aconselho a leitura.

3º - Como os preceitos maçônicos de Liberdade, Igualdade e Fraternidade em determinadas épocas da Idade Média foram vistas como afronta ao poder dominante; leia-se neste caso específico o Papa. 


Não foram os poucos os que perderam suas cabeças em razão de sua ligação com a Ordem Maçônica. Motivo pelo qual o sigilo foi instituído como forma de sobrevivência neste período de obscuridade e perpetuando-se até hoje em razão do preconceito existente por algumas vertentes religiosas. Tal fato obrigou a criação de sinais, toques e palavras de reconhecimento que pudessem ser dados de forma discreta em qualquer ambiente, sem incorrer nos riscos acima citados.

Tal preconceito, não obstante o fato da Maçonaria não ser religião, ainda é um fato, apesar de agregar em seus quadros membros das mais diversas ordens religiosas; desejando apenas homens cujas qualidades são inerentes as religiões que pregam o bem ao próximo, excluindo-se claro, aquelas que pregam morte aos infiéis. 

Levando em conta as perseguições que se seguiram e seguem até hoje, é compreensível que os maçons não se exponham tanto quanto deveriam. É fato que diversas ações filantrópicas são realizadas pela Maçonaria, sem que se faça questão de divulgá-las. Muitos que são beneficiados na maior parte das vezes nem desconfiam de onde provem o auxílio. Cabe aqui lembrar que as pessoas convidadas a participar da Maçonaria o são em razão de suas posturas, onde não são permitidos vícios morais, sociais e éticos, sendo que passam por diversas avaliações, não podendo ter nenhum tipo de restrição, seja comercial ou legal.


Por mais incrível que pareça, a solidariedade acaba sendo um dos motivos da não divulgação de seus atos dentro dos Templos. 

Explico: Digamos que você seja um maçom e esteja fora de seu domicílio, em outra cidade e por infelicidade tenha perdido sua carteira. Neste momento, você irá utilizar-se dos sinais de reconhecimento visando localizar outro irmão maçom. Este irmão após identificá-lo pelos sinais, dará todo o aporte necessário visando sanar esta situação, podendo inclusive disponibilizar seu carro, ou quaisquer outros recursos a que tenha acesso, acomodando-o em sua casa com suas filhas e esposa. Tudo na maior confiança, pois sabe que está recolhendo para seu convívio, um homem de bons costumes.

Agora vamos inverter a situação. Você agora é um maçom e percebe outro irmão com as dificuldades acima citadas. Quais as garantias de que você recolherá para o seio de sua família uma pessoa de boa índole?

Percebe o quanto se faz necessário o sigilo destes sinais de reconhecimento?


Agora vamos voltar à questão dos fatos ocorridos dentro de um Templo

No sentido mais geral, um rito é uma sucessão de palavras, gestos e atos que, repetida, compõe uma cerimônia (religiosa ou civil, na maior parte das vezes).

É um conjunto de atividades organizadas, no qual as pessoas se expressam por meio de gestos, símbolos, linguagem e comportamento, ou seja, Rito é a teoria e Ritual é a prática; ou ainda; Rito é conteúdo e Ritual é forma.

Conhecemos diversos tipos de Ritos e Rituais. A formatura, por exemplo, é um Rito na qual o formando passa pelo Ritual de Colação de Grau.

Talvez o Rito mais conhecido seja o da Igreja Católica, onde a 1ª Comunhão é um ritual.

Durante uma missa ritualística, o padre executa diversos sinais (sinal da cruz), dá toques (recebimento da hóstia) e fala diversas palavras (Amém) que fazem parte do contexto que caracterizam esta religião.

Para aqueles que já tiveram a oportunidade de ver pessoalmente uma sessão do Rotary Club, Lions ou de qualquer Câmara de Comércio, perceberá que existe uma sequencia ritualística visando dar ordem à reunião. Agora vem a parte mais interessante: uma sessão maçônica não difere em muito dos exemplos acima citados. 

O real motivo pelo qual as sessões maçônicas não são abertas ao público é que as suas sessões são simplesmente permeadas pelos sinais, toques e palavras que asseguram o reconhecimento entre seus membros e consequentemente garantem a segurança em situações como a que acima descrevemos.


Espero que tenhamos conseguido esclarecer os reais motivos de tamanho sigilo que tanto tem gerado especulações.

De tudo isso só resta um famoso cliche:

A Maçonaria a muito deixou de ser secreta e passou a ser discreta.


PARA SUA INSCRIÇÃO - CLIQUE AQUI




São Paulo, terça-feira, 13 de novembro de 2018